#ProduçãoTextual

GT de Gênero e Clima lança infográfico com a pergunta “Por que gênero e clima?”

ELABORAÇÃO: Jamille Nunes
PUBLICADO EM: 03 de agosto de 2021

Selma Dealdina (CONAQ) e Sineia Wapichana (CIR), além de mulheres envolvidas na produção do infográfico, participaram do lançamento e resgataram a importância do material

Na sexta-feira, 30/07, o Grupo de Trabalho em Gênero do Observatório do Clima lançou o infográfico que explica visualmente a importância de entrelaçar gênero e clima.

A proposta foi refletir em torno da pergunta “por que gênero e clima?” e organizar esses temas de forma simples e objetiva. O GT ressalta que não se trata de um trabalho acabado, e sim, um ponto de partida.

O lançamento aconteceu em transmissão ao vivo pelo Youtube do Observatório do Clima, com apresentação da consultora Ana Cristina Nobre, que liderou a produção do infográfico, e a participação da artista Valentina Fraiz e da designer Julia Lima. As convidadas Selma Dealdina (Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas) e Sineia Wapichana (Conselho Indígena de Roraima) teceram comentários sobre o material, e a condução foi feita por Nara Perobelli.

Produção do infográfico “Por que gênero e clima?”

O material é resultado da construção coletiva do GT, feito a partir de discussões em círculos desde 2020, como apontou Ana Cristina. O objetivo dele é tornar didática a tarefa complexa de debater a crise climática a partir das lentes de gênero. Nesse sentido, “gênero” é o chamariz para um olhar interseccional, que inclui discussões de raça, classe e demais pautas necessárias para diagnosticar problemas e fomentar soluções inovadoras. Dessa forma, também se evitam as narrativas universais, que invisibilizam outras mulheres.

Envolvida no processo criativo, a artista venezuelana Valentina explica de onde partiu a ideia visual do infográfico, uma vez que existem poucas referências em imagem que reúnam os conceitos de gênero e clima. “Ano passado, enquanto eu ouvia as defensoras ambientais Sarah (Marques) e Veridiana (Vieira), elas deixaram nítido que defender o território passa pelo corpo. O corpo é território de luta, e essa questão ficou muito marcada para mim.

A importância de articular gênero e clima em um infográfico

Selma Dealdina destacou: “Sem discutir gênero, raça, classe e clima, a nossa discussão é pela metade.” Ela ressaltou como as organizações precisam racializar as suas discussões e de falarmos das diferentes mulheres que precisam ser levadas em consideração quando falamos de clima. “Somos todas mulheres, mas temos as mulheres pescadoras, quilombolas, marisqueiras, indígenas, negras.

Selma também chamou a atenção em como são as mulheres, em povos tradicionais, as guardiãs de conhecimentos ancestrais, guardando sementes e cuidando dos territórios.

Já Sineia Wapichana apontou a importância do material em desenho. “Aqui em Roraima, trabalhamos muito com o desenho, não só para que as pessoas possam ter melhor entendimento, mas a gente tem uma questão entre os povos indígenas, que às vezes não sabem ler e escrever (em português), mas contam como está sendo o enfrentamento às mudanças climáticas,” declarou.

Sineia também lembrou que existem pessoas que não sabem o que significa mudança climática, mas que já vivenciam essas ações, seja na cidade ou na floresta. O material pode auxiliar, portanto, nesse momento de nomear e identificar realidades existentes.

Assista abaixo o bate-papo de lançamento:

Navegue pelo infográfico

No hotsite do GT de Gênero e Clima do Observatório do Clima é possível ver o infográfico na íntegra e também baixá-lo em PDF para impressão. Assim, o material pode ser também uma ferramenta de educação e multiplicação do tema.

Tanto no hotsite, quanto em sua versão em PDF, é possível encontrar as referências utilizadas. O GT reforça que contribuições são bem-vindas e podem ser enviadas ao email [email protected] 

Clique aqui e veja o infográfico

“Este conteúdo não representa, necessariamente, a opinião do Observatório do Clima ou de qualquer um de seus membros.”

Planos Setoriais: Energia

Esta nota técnica analisa a relação entre energia, gênero e mudança do clima no âmbito do Plano Decenal de Energia 2030. Este documento não representa, necessariamente, a opinião do Observatório do Clima ou de qualquer um de seus membros.

ler mais

Pin It on Pinterest