#Estudo

lançamento: quem precisa de justiça climática?

PUBLICADO EM: 09 de agosto de 2022

Donana reside no primeiro quilombo do país, na Bahia. Ela foi uma das participantes do estudo “Quem precisa de justiça climática no Brasil?”

SOBRE O ESTUDO

Após um ano e meio de produção, é com muita honra que anuncio o lançamento de um projeto que tenho muito orgulho de fazer parte. Em uma combinação de muita pesquisa, entrevistas e ilustrações, nasceu um livro. A publicação direciona o olhar para a realidade brasileira e lança a pergunta: quem precisa de justiça climática no Brasil? As reflexões apresentadas apontam para a necessidade de compreensão sobre o que a justiça climática realmente significa. Buscando pavimentar o caminho para essa conceituação a partir de perspectivas interseccionais, ouvimos algumas das vozes que protagonizam o tema no país para entender quais são suas cores, raças e etnias, seus caminhos de luta, percursos de vida e atuações, dentre outras perspectivas que, quando analisadas em conjunto, evidenciam as múltiplas realidades e injustiças vividas por essas pessoas.

Prefaciado por Marina Silva, as reflexões apresentadas nos ajudam a entender a crise climática como mais um eixo de opressão que, quando analisado à luz da interseccionalidade, revela que os impactos das mudanças do clima são ainda mais acentuados para mulheres negras, indígenas e quilombolas, de comunidades rurais, pesqueiras e marisqueiras, periféricas e moradoras de favelas. Elas são, portanto, o foco desta publicação. Fatores ambientais e climáticos reforçam desigualdades já existentes e criam abismos de extrema marginalização para mulheres que fazem parte dessas intersecções.

Quem precisa de justiça climática

AGENDA PROPOSTA

12h10: Boas-vindas e vídeo explicativo da concepção do estudo
12h15: Apresentação do painel de discussão sobre o estudo com a presença de:

  • Xica da Silva (defensora ambiental e co-autora do livro);
  • Sylvia Siqueira (pré-candidata a deputada estadual em Pernambuco e defensora dos direitos humanos).

Assista a roda de conversa com as co-autoras do livro e convidadas para responder a indagação que orientou a investigação. Afinal, quem precisa de justiça climática no Brasil?

“Este conteúdo não representa, necessariamente, a opinião do Observatório do Clima ou de qualquer um de seus membros.”

Jô Santin e o desejo da terra produtiva | Mulheres que Restauram

Integrante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Joscimar Marins Santin é a estrela do sexto episódio da Série Mulheres que Restauram por acreditar que é das mãos das mulheres que nasce o sonho da terra produtiva. “As árvores são vida e cada planta que a gente põe na terra a gente tem que colocar na terra com o maior carinho, porque a terra é como uma mãe e gera vida”, comenta Jô.

ler mais

Planos Setoriais: Energia

Esta nota técnica analisa a relação entre energia, gênero e mudança do clima no âmbito do Plano Decenal de Energia 2030. Este documento não representa, necessariamente, a opinião do Observatório do Clima ou de qualquer um de seus membros.

ler mais

Pin It on Pinterest