#EditalSementes

Relatos “O convívio entre duas pandemias” — Edital Sementes

PUBLICADO EM: 02 de setembro de 2021

As falas de Pekãshaya Shanenawa, ou Edina, mostram o impacto da mudança climática e da pandemia sobre mulheres indígenas do seu povo, no Acre

Narrativa Shanenawa

Pekãshaya Shanenawa foi a primeira cacica do povo Shanenawa. Suas falas, presente no arquivo do link abaixo, foram coletadas de palestras, eventos, webinários e lives em que ela participou, principalmente durante o ápice da pandemia.

Por causa das mudanças climáticas que tá havendo mudanças nas plantações. Nunca tinha tido friagem no mês de novembro e teve no mês de novembro no estado do Acre, então a mudança climática está muito forte no nosso estado do Acre, que tá afetando nossa segurança alimentarm”, ela declara. “Essa época era mês de colher várias frutas e legumes, e hoje ou eles morreram, tá perdendo semente ou agora que eles tão nascendo, então tá mexendo muito com nossa sobrevivência, segurança alimentar, nosso território. Ali dentro do nosso território tá o nosso saber também, nossa ciência, porque hoje pra ter nossa ciência para conversar com a mãe natureza para que ela possa liberar nosso plantio para nossa segurança alimentar.

O objetivo é levar os ensinamentos de Pekãshaya Shanenawa sobre suas preocupações e ensinamentos relacionados às mudanças climáticas e suas consequências para as mulheres indígenas.

Este esforço de coleta coletivo foi organizado pelo Instituto Fronteiras, organização sem fins lucrativos que atua no Vale do Juruá e que trabalha em cooperação com o povo Shanenawa desde 2018. com o intuito de fortalecer e contribuir na luta dos povos da floresta.

Acesse aqui o arquivo com as falas de Pekãshaya, “O impacto das mudanças climáticas na vida das mulheres Shanenawa: o convívio entre duas pandemias.”

O Edital Sementes tem como objetivo destacar narrativas que interligam questões de gênero e clima e que normalmente não encontram vazão nos espaços institucionais. São relatos orais transcritos, narrativas tradicionais, poéticas e outros que, ao serem reconhecidos, ajudam a adiar o fim do mundo.

Alguns dos materiais passaram por edição ou adaptação para melhor clareza e melhor leitura, às vezes reduzindo seu tamanho original.

“Este conteúdo não representa, necessariamente, a opinião do Observatório do Clima ou de qualquer um de seus membros.”

Gênero e Clima

A história dos jabutis — Edital Sementes

Meu nome em português é Iracilda Gomes de Araújo Shanenawa. Na língua indígena me chamo Samy. Sou do povo Shanenawa, moro na Aldeia Morada Nova. Eu vou contar a história do Jabuti, que na história conta que o jabuti andava em bando.

ler mais

Pin It on Pinterest